A realidade é outra se você fizer parte dela

  • Twitter Provopar
  • Facebook Provopar
  • Instagram
  • Youtube

Notícias

17/05/2013

Sanepar e Provopar Estadual implantam programa Ecocidadão em Ponta Grossa

Numa parceria entre o Provopar Estadual, Prefeitura de Ponta Grossa e Sanepar, está iniciando esta semana, em Ponta Grossa, o programa Ecocidadão Paraná, com o objetivo de assessorar as associações e cooperativas de catadores de material reciclável na coleta, separação, comercialização do material coletado, para aumentar a vida útil dos aterros sanitários e potencializar a reutilização do material que pode ser reaproveitado. Ponta Grossa
produz em média 250 toneladas de lixo/dia e uma das propostas do projeto é possibilitar novas formas do uso industrial do resíduo depositado nos aterros.

O programa envolve as cinco associações de catadores de materiais recicláveis do município: Acamar (centro), Acamaruva (Uvaranas), Acamaru (Nova Rússia), Acamaro (Oficinas) e Arrep (nome provisório), que juntas somam mais de 150 famílias que sobrevivem da separação do material coletado pela Prefeitura. Além de melhorar a qualidade de vida dos catadores, mediante uma melhor remuneração, o Ecocidadão trará enormes benefícios ao meio ambiente.

A diretora de Qualificação Profissional e Geração de Renda do Provopar Estadual, Ana Maria Taques Ghignone, disse que a responsabilidade da instituição dentro do programa é de “atuar na capacitação dos catadores que trabalham na coleta e separação do material reciclável, já que muita coisa que atualmente é lançada nos aterros sanitários poderia se transformar em renda para os trabalhadores. Entretanto, é preciso destacar que o programa tem como foco a parte ambiental, sem deixar de atender a questão social”.

Segundo ela, outro aspecto importante é a retirada do catador do trabalho realizado nas ruas e mantê-lo dentro de espaços adequados para a separação do material. Desta forma ele deixa de ser catador e passa a atuar como separador do lixo reciclável, evitando o depósito deste material em casa, melhorando suas condições de trabalho e saúde”, explicou. O acúmulo dos materiais recicláveis em domicílio pode atrair vetores, como ratos, e por consequência causar doenças graves, como a leptospirose.

A capacitação dos catadores será feita por técnicos do Provopar Estadual nas sedes das associações. “Só deixaremos de atuar quando todos estiverem capacitados ou seja fazendo a separação correta de materiais recicláveis”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Provopar

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.